O 28 de Abril no Rio Grande do Sul

As mobilizações no Rio Grande do Sul no dia da Greve Geral contra as reformas da previdência e trabalhista do governo Temer iniciaram já na madrugada de sexta-feira. Na seqüência, um breve panorama das iniciativas de que participamos ou que nos chegaram via contatos em diferentes lugares do estado.

SM2

Em Porto Alegre foram várias mobilizações simultâneas. Dezenas de moradores do Morro Santana, zona leste da capital, entre trabalhadores da saúde, professores, estudantes e comunidade trancaram a via pública na região da Manoel Elias com a Protásio Alves. Ocorreram piquetes em diversas garagens de ônibus e em algumas delas a Brigada Militar interveio para tentar desobstruir os piquetes. Na Avenida Bento Gonçalves na altura do Câmpus do Vale da UFRGS, estudantes, trabalhadores da universidade e moradores da região cortaram a avenida e colocaram fogo em pneus. Trabalhadores municipários realizaram piquetes em hospitais e em frente a prefeitura. A guarda municipal chegou a reprimir colegas de trabalho a mando do prefeito Marchezan. Indígenas e Quilombolas ocuparam o Incra desde as 08h em defesa de seus direitos e contra o racismo e o genocídio. A tarde, mais de 20 mil pessoas participaram de marcha unificada no centro da cidade.

Em Viamão, cidade da região metropolitana de Porto Alegre, rodoviários e municipários fizeram piquete na garagem da empresa de ônibus VIAMÃO. A garagem não era fechada desde 1996. A RS 040 também foi bloqueada em momentos do dia.

Em Erechim, região norte do RS, trabalhadores, estudantes e lutadores de movimentos sociais como o MAB paralisaram e fizeram piquete na garagem da empresa de ônibus GAURAMA. Chegou a ocorrer embate com a Brigada Militar e o corpo de Bombeiros mas ninguém foi preso. Pela tarde ocorreu uma marcha unificada no centro da cidade.

A BR386 na altura de Nova Santa Rita, região metropolitana de porto alegre (RMPA) foi trancada por trabalhadores do campo, assim como a garagem de ônibus da cidade.

Em Cachoeirinha (RMPA), aconteceu piquete na garagem da empresa TRANSCAL durante a madrugada e início da manhã e manifestação no meio da manhã em frente a prefeitura. Também ocorreram diversos cortes de vias na cidade ao longo da manhã.

Em Santa Maria, região central do RS, trabalhadores, estudantes e lutadores sem teto trancaram garagem de ônibus local e rodovia BR 287 com barricada desde as 04h da manhã. Também ocorreram trancamentos na UFSM, no distrito industrial e no Instituto Farroupilha. Por voltas das 16:00, cerca de 10 mil pessoas marcharam nas ruas do centro da cidade.

Em São Leopoldo (RMPA), foi trancada pela manhã a BR 116, garagens das empresas de ônibus da cidade, concentração de diferentes categorias e ato unitário com cerca de 2.500 pessoas entre professores, servidores municipais e estaduais, metalúrgicos e estudantes.

Em Santa Cruz do Sul, região central do RS, aconteceu uma marcha histórica para a cidade, em que participaram cerca de 7 mil pessoas.

Em Jaguarão, região sul do RS, trabalhadores das instituições de ensino superior, servidores municipais e estudantes se mobilizaram pelas ruas da cidade de trancaram a Ponte Internacional Barão de Mauá na fronteira Brasil-Uruguai.

Em Rio Grande, região sul do RS, houveram barricadas e corte de vias públicas desde a madrugada com duração de cerca de 16hs.

Também ocorreram mobilizações em Bagé, Guaíba, São Borja, Caxias do Sul, Alegrete, Canoas, Ijuí, Ibirubá, Venâncio Aires, Passo Fundo e outras cidades.

Comissão de comunicação da FAG

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s